Cronista da vida, das coisas e do mundo. Lifestyle, um pouco de tudo.

Livros

Mitologia #9: Diana (Ártemis)

Serie sobre mitologia hoje traz o perfil da deusa Diana (Ártemis para os gregos), a deusa da caça, da lua e da castidade.

Ártemis (para os gregos)Diana (para os romanos) é a deusa olímpica da caça, da lua e da castidade; com o tempo, ela também se tornou associada ao parto e à natureza. Com poucos dias de vida, ela ajudou sua mãe Leto a dar à luz seu irmão gêmeo Apollo. Era a maior protetora da própria inocência e de suas sacerdotisas. Consequentemente, ela não era uma pessoa muito razoável quando algumas delas não eram tão cuidadosas.

Diana é uma das deusas com maior quantidade de templos dedicados a ela. Entre os mais importantes e cujos resquícios ainda podem ser visitados estão o de Ephesus, na Turquia; de Jerash na Jordânia; e de Sardis, também na Turquia. Confira fotos para escolher o destino de sua próxima viagem.

Templo de Diana em Jerash, na Jordânia

— — —

Templo de Ártemis em Ephesus, na Turquia

— — —

Templo de Ártemis em Sardis, na Turquia

— — —

Mitologia #9: Diana (Ártemis)

Embora Platão diga que o nome “Ártemis” está relacionado à sua virgindade e à palavra grega antiga para “ileso” ou “puro”, sabemos que sua origem é indubitavelmente diferente e possivelmente até persa. No entanto, os estudiosos não concordam sobre seu significado original.

A representação e o simbolismo de Ártemis

Escultores, poetas e pintores, no entanto, não tiveram tais problemas. Diana é quase universalmente descrita como uma jovem, bela e vigorosa caçadora carregando flechas e segurando um arco, normalmente vestindo uma túnica curta na altura do joelho e muitas vezes acompanhada por algum animal (veado, corça ou cães de caça). Como deusa da lua , ela às vezes é representada usando uma longa túnica e uma coroa de lua crescente.

Epítetos de Artemis/Diana

Homero chama Ártemis de “A Senhora dos Animais”. Como caçadora, ela também é frequentemente chamada de “derramadora de flechas” ou “atiradora de veados”. Assim como seu irmão, ela pode ocasionalmente ser chamada de “brilhante” ou, ainda mais, ilustrativa de sua função como uma deusa da lua, “portadora da tocha”.

Família e nascimento de Ártemis

Artemis é filha de Zeus e Leto, que era filha dos Titãs Coeus e Phoebe. Irritada com a infidelidade do marido, Hera caçou Leto por todo o planeta e a proibiu de dar à luz em qualquer lugar da terra sólida. No entanto, Leto chegou à ilha de Delos e deu à luz Ártemis enquanto se equilibrava em um ramo de oliveira.

Quando Hera ouviu isso, ela proibiu sua filha Eileithia, a deusa do parto, de ajudar Leto ainda mais. Isso adiou o nascimento de Apollo por nove dias. E quem sabe quanto tempo teria passado no ventre da mãe se Ártemis não tivesse milagrosamente aprendido a arte da parteira e ajudado Leto finalmente a dar à luz ao seu irmão.

Artemis Protegendo Leto

Ártemis e Apollo eram grandes protetores de sua mãe. Quando Niobe – mãe de seis meninos e tantas meninas – se gabou de que enquanto Leto deu à luz dois deuses, ela deu à luz um Olimpo inteiro. Apolo e Ártemis, motivados pela ofensa recebida pela mãe, mataram todos os filhos de Niobe. Apolo cuidou da prole masculina e Ártemis, das filhas.

Em outra ocasião, Tityus tentou estuprar Leto, mas foi morto pelas flechas de Apolo e Ártemis antes que consumasse o ato.

Diana, a Deusa Virgem Vingativa

Quando Diana ainda era uma pequena donzela, ela pediu a seu pai Júpiter (Zeus) que mantivesse sua virgindade para sempre. Então – assim como Atena e Héstia – ela permaneceu casta por toda a eternidade. E guardou esse voto ainda mais vigorosamente do que as outras. Por exemplo, quando o caçador Actéon a viu tomando banho nua, ela o transformou em um cervo e colocou seus cães contra ele. Ele foi despedaçado pela fúria dos animais.

Siproites era apenas um menino quando teve a mesma infelicidade de Actéon de ver acidentalmente a deusa despida. Assim, ele foi punido com menos severidade: Diana o transformou em uma menina.

Ártemis e Órion

De todos o outros que tentaram estuprar Diana; nenhum deles viveu para contar. A história mais famosa envolve Órion, um companheiro de caça de longa data dela. Na verdade, ele pode muito bem ter sido o único interesse amoroso de Diana. No entanto, quando ele tentou tirar o manto que a cobria, a deusa o matou. Há quem diga que Órion foi realmente morto por um escorpião enviado por Gaia ou por uma flecha de Apolo. De alguma forma, os deuses tentaram manter sua virgindade intacta na única vez em que ela não conseguiu.

Ártemis, a Defensora da Pureza

Ártemis não cuidava apenas de sua própria pureza; ela também defendeu a inocência de seus adoradores. E era impiedosa se alguma de suas sacerdotisas a perdesse. Por exemplo, depois que sua assistente de caça Calisto deu à luz o filho de Zeus, Arcas, ela planejou com Hera transformá-la em um urso. O plano era fazer com que Arcas a matasse. No entanto, quando isso estava prestes a acontecer, Zeus colocou os dois nos céus como as constelações da Ursa Maior e Ursa Menor.

Mas assim como ela puniu os transgressores do voto sagrado, Ártemis recompensou aqueles que o cumpriram. Para se dedicar a uma vida casta, Hipólito desprezou Afrodite, após o que a deusa do amor fez sua madrasta se apaixonar por ele. Isso estabeleceu uma cadeia de eventos que levou à morte de Hipólito. No entanto, Ártemis convocou Asclépio e ressuscitou Hipólito como um novo homem, que posteriormente governou a Itália sob o nome de Vírbio.

No caso de Ifigênia, Ártemis substituiu a menina por um veado, assim como Ifigênia estava prestes a ser sacrificada por seu pai, Agamenon. Depois, ela levou Ifigênia com ela em Tauris e fez dela uma sacerdotisa de seu culto.

— — —

Para conferir todos os posta da serie sobre mitologia, acesse este link aqui.

Fotos: arquivo pessoal e Pinterest.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.